HISTÓRIA

40 ANOS

Resumo da história da Paróquia

Sinopse da história da Paróquia

Pe. Marcos Andrade

 

A Paróquia foi devidamente fundada como tal no dia 23 de dezembro de 1979, sendo Papa, Sua Santidade João Paulo II, Cardeal Arcebispo Dom Eugênio de Araújo Sales, Vigário Paroquial do Vicariato Episcopal Oeste, Pe. José Palmeira Lessa.

Através de dados fornecidos pelo Sr. Sebastião Cezário e outros colaboradores, soube-se que quando a Irmandade de São Benedito de Areia Branca comemorou os seus 75 anos de existência, tentou-se fazer um breve histórico, já que não havia nada registrado em livros, atas ou outras documentações.  Foi então consultada verbalmente a Sra. Etelvina Maria de Alvarenga, uma das fundadoras da comunidade de Areia Branca, residente na época em Senador Camará.  A citada sra. veio a falecer no dia 08/10/1969, ou seja, quatro dias antes dos festejos dos 75 anos da Irmandade.

Etelvina Maria de Alvarenga relatou o seguinte: pelos anos de 1894, uma grave epidemia de varíola atingiu a localidade.  Então, o Sr. Miguel Martins, católico e homem de fé, residente nesta comunidade e outros cristãos devotos de São Benedito, juntamente com a comunidade, invocaram fervorosamente o santo milagroso para livrá-los da terrível doença, prometendo levantar uma capela em nome de São Benedito e cultuá-lo festivamente todos os anos.

O Santo Milagroso os atendeu e foi celebrada a primeira missa no terreno onde hoje se localiza a Escola Municipal Tenente Renato Cézar, na praça da Areia Branca, debaixo de uma coberta de palhas de coqueiros para abrigar os devotos que se encontravam presentes.

Após a missa, houve procissão solene com o santo padroeiro, percorrendo a antiga rua denominada: Silva e Sá, hoje, São Benedito.  No final desta rua se encontrava o Sr. Miguel Monteiro, um dos principais fundadores da comunidade, esperando a procissão com uma banda de música.  Deste modo, iniciou-se a devoção a São Benedito, criando-se a Irmandade Devocional, fundada a 12/10/1894 (em 2019 completará, portanto, 125 anos).

Todos os anos eram realizados festejos, que chegavam a ser até comparados à festa da Penha.  Famílias vindas de todas as partes, dos mais longínquos recantos, sentavam-se à sombra de frondosas árvores e ali passavam o dia, em verdadeiro pic-nic.  As ruas eram de areia branquinha, daí a origem de seu nome: Areia Branca.  A terra era sacudida pelas carruagens puxadas a burro, bondes também puxados a burro e, deixavam em seu rastro, aquele véu de poeira típica do lugar.

A irmandade foi reconhecida juridicamente em 1908.  Em 30/04/1967, por ocasião da visita do Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Alberto Trevisan à capela de São Benedito, foi lançada a Pedra Fundamental da Nova Igreja de São Benedito, que ainda estava em construção.  Estiveram presentes D. Alberto Trevisan, Pe. Guilherme Decaminada e Pe. Ézio Gislimberti.  Na época era Vigário da Igreja de Cristo: Sua Santidade o Papa Paulo VI, Cardeal Arcebispo do Rio: Dom Jaime de Barros Câmara, Governador do Estado: Francisco Negrão de Lima e Presidente da República: Mal. Artur da Costa e Silva.

As atividades da comunidade de Santa Cruz, iniciaram-se com os sacerdotes estigmatinos no ano de 1947.  Destaca-se a contribuição, no entanto, do Pe. Ézio Gislimberti, possuidor de um grande dom administrativo, social, econômico e religioso.  Foi o grande incentivador da ampliação da capela de São Benedito e, também, o encaminhador da planta da atual igreja para a Cúria Metropolitana; implantou a Pedra Fundamental da mesma, trabalhou juntamente com o povo da Areia Branca para erigir a atual igreja que se encontrava em construção.  Destaca-se também o trabalho do Pe. Bento Arpal Gyula Sulcz, na conscientização do povo da localidade para que a comunidade passasse a ser Paróquia.  Abriu ele caminho para a chegada das irmãs Beneditinas da Divina Providência nesta localidade.

 

Leigos a serem destacados:

Bernardino Alves da Fonseca, que foi o doador do terreno da capela inicial.

Júlio Teixeira da Cunha, denominado “rezador”, cultivou a vida religiosa da comunidade de Areia Branca, juntamente com sua Irmã, a Sra. Agda Teixeira da Cunha, primeira catequista desta comunidade.

Cândida Teixeira da Cunha, que além de catequista foi a doadora do terreno e da casa nº 08 da praça da Areia Branca, que serviu, na época, de residência para as irmãs e padres que serviram à comunidade.  Hoje, local alugado para fins comerciais.

Alexandrino Guimarães, foi o iniciador da Nova Igreja de São Benedito e trabalhou na mesma até a cobertura, dando a vida por ela.  Veio a falecer durante a construção, após a queda de um dos andaimes.  Este fato abalou profundamente a comunidade.

 

No início da Paróquia, haviam apenas três comunidades anexas a ela: Nossa Senhora Aparecida (na Travessa Viana), São Miguel Arcanjo (Na Rua Vitor Dumas) e Cruz das Almas (na Rua Fernanda), sendo esta última desde que aqui cheguei, desvinculada da matriz, sendo posta agora a Comunidade Sagrada Família (comunidade atual).

SOBRE NÓS

Paróquia de São Benedito situada na Areia Branca, no Bairro de Santa Cruz. Realiza diversos trabalhos junto a comunidade.

LOCALIZAÇÃO

(21) 3157-8788 / 3395-3024

Av. Areia Branca, 1460 - Santa Cruz, Rio de Janeiro -

RJ, 23550-740

CONECTE-SE
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017 Paróquia São Benedito. prepared by Luis Gustavo